O Que São Séries Nordic Noir?

Forbrydelsen (Foto: DR/Divulgação)

Em 2009, a Suécia, em parceria com a Dinamarca, surpreendeu os fãs de cinema com o lançamento de uma trilogia que adaptava a obra de  Stieg Larsson. Com os títulos de The Girl with the Dragon Tattoo, The Girl Who Played with FireThe Girl Who Kicked the Hornets’ Nest, as adaptações conquistaram público e crítica internacional. A boa receptividade levou os produtores a lançarem no ano seguinte uma minissérie televisiva, que nada mais era que a versão estendida dos três filmes, também conhecidos como Millennium Trilogy.

O sucesso de público de Millennium Trilogy encorajou a BBC a exibir em 2011 Forbrydelsen (esta sim uma série produzida especialmente para a TV), drama policial que foi lançado na Dinamarca em 2007. Esta produção, que ganhou um remake americano com o título de The Killing, estabeleceu a produção escandinava no mapa televisivo mundial, abrindo as portas do mercado internacional para títulos desta região.

Com elas, o termo Nordic Noir, que se refere às séries policiais e dramáticas produzidas na Dinamarca, Noruega e Suécia, podendo incluir também as produções da Finlândia e Islândia.

A literatura policial é o berço da produção Nordic Noir, que teria surgido em meados da década de 1970. Já a versão televisiva, que começou adaptando obras literárias, teria começado na década de 1990, levando dez anos para ser moldada e polida, chegando no nível do que é visto hoje.

O termo costuma definir séries que, no caso do gênero policial, apresenta um detetive ou uma equipe fazendo investigações (geralmente de um caso por temporada) sem a utilização da parafernália tecnológica comumente vista nas produções americanas. Tanto nas produções policiais quanto nos dramas, as histórias (que contam com uma fotografia cinematográfica) são situadas em um ambiente gélido e melancólico, apresentando o contraste entre uma sociedade evoluída x crimes hediondos (retratados com requinte de crueldade e em detalhes de imagens) x hipocrisia (no caso dos dramas não policiais).

As histórias são estreladas por personagens imperfeitos, disfuncionais, complexos e sombrios, que geralmente sufocam sentimentos e opiniões enquanto tentam manter seus segredos e se enquadrar no ambiente em que vivem, seguindo as regras que lhes são impostas. Os diálogos são simples e diretos, por vezes curtos, intercalados com cenas silenciosas. Em meio a tudo isto, as séries fazem uma dura crítica social de seus respectivos países (incluindo choques culturais), sem necessariamente oferecer um final feliz.

As séries (em especial as policiais) oferecem uma trama com ‘efeito dominó’ (uma situação leva a outra que leva a outra…), cheia de reviravoltas, em meio a questões sócio-político-economico-culturais atuais vividas tanto pelos personagens centrais quanto pelos coadjuvantes e convidados.

As séries escandinavas também dão especial atenção às mulheres que, fugindo da caricatura de auxiliar do protagonista ou da vítima de plantão, controlam governos, investigações, empresas ou famílias, tornando-se a protagonista, a exemplo da já mencionada Forbrydelsen (na versão americana o parceiro de Sarah teve maior destaque que na produção original); Bron/Broen, produção protagonizada por um casal, mas quem está no comando é a personagem feminina; Borgenque acompanha a vida da Primeira Ministra da Dinamarca, bem como de uma jornalista ambiciosa; Jordskott (detetive), Dicte (repórter investigativa), Modus (psicóloga da polícia), Bedrag/Follow the Money (advogada) e Those Who Kill (detetive), entre outras. Mas também existem muitas protagonizadas por homens, como Ófærð/Trapped, Mammon, Norskov, Frikjent/Acquitted, Nobel, MonsterSorjonen/Bordertown, OkkupertValkyrien, entre outros. Também são considerados Nordic Noir dramas com temáticas políticas, religiosas e familiares que seguem o estilo narrativo/estético das produções policiais, como Herrens Veje/Rides Upon the StormArvingerne/The Legacy ou Tjockare än Vatten/Ticker Than Water.

O sucesso internacional das séries escandinavas teria inspirado a TV britânica a produzir Broadchurch, Marcella, The Missing, The FallFortitude, Top of the Lake e River, que seguem o mesmo estilo narrativo, conteúdo social e/ou estético; a TV australiana a produzir The Code, Deep Water, The Kettering Incident e Secret City; a TV canadense a produzir Blood and Water e Shoot the Messenger; a TV americana a produzir remakes (além The Killing também temos as versões de Bron/Broen, que recebeu o título de The Bridge, Those Who KillØyevitne/Eyewitness, bem como de The Girl with the Dragon Tattoo); e a promover a coprodução com outros países como a França (Midnight Sun), Alemanha (The 100 Code) e EUA (The Rain, série do Netflix ainda inédita).

Apesar do sucesso, as produções escandinavas ainda são conseguiram se estabelecer no mercado brasileiro. Isto porque os canais (rede aberta e fechada) são dominados pela produção americana. Temos acesso a algumas produções inglesas, canadenses e australianas, bem como asiáticas e latinas, mas as produções dos demais países europeus, incluindo os escandinavos, são mais raras. Alguns títulos, como Forbrydelsen, Borgen e Bron/Broen, já foram exibidos por aqui pelo +Globosat; também temos Jordskott e Acquitted no ClaroVideo, e The 100 Code no Crackle (que também oferece a comédia norueguesa Hellfjord). No entanto, podemos considerá-los exceções. Mesmo o Netflix, que tem em seu catálogo diversas séries escandinavas, não libera seu acesso para o público brasileiro (embora já tenha oferecido as comédias Rita, da Dinamarca, e Lilyhammer, da Noruega).

Compartilhar:

7 comentários em “O Que São Séries Nordic Noir?”

  1. São muito boas essas séries escandinavas. Assisti as duas primeiras temporadas de Forbrydelsen na netflix mas nunca disponibilizaram a terceira.

  2. Curte séries? Meu TCC (Licenciatura em História – UNIRIO) é
    baseado em séries com temática histórica e como elas podem despertar o
    interesse por História! Agradeço a todos que possam contribuir com sua
    opinião! Segue o link abaixo, não é vírus, não recebo remuneração por isso
    é apenas uma pesquisa, participem!
    goo.gl/OZUDxp

  3. Wallander da BBC também é uma série britânica que surgiu nessa onda do nordic noir. O personagem Wallander também ganhou uma série na televisão sueca entre 2005 e 2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *